Papa Francisco institui a Conferência Eclesial da Amazônia

21 de Outubro de 2021
-2305

O papa Francisco criou a Conferência Eclesial da Amazônia (CEAMA), um organismo permanente e representativo da Igreja Católica, com o objetivo de promover a ação pastoral na Amazônia, informou nessa quarta-feira (20) a Santa Sé. A região engloba nove países da América do Sul e tem 7,5 milhões de quilômetros quadrados, cujas florestas tropicais estão sendo devastadas.

A criação da conferência eclesial foi um dos pedidos feitos pelos bispos da região, reunidos em 2019 no Vaticano para Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia - com o tema "Amazônia: novos caminhos para a Igreja e por uma ecologia integral", realizado entre 6 e 27 de outubro de 2019, após a qual foi escrita a exortação apostólica Querida Amazônia.

Em junho de 2020, a assembleia do projeto da constituição da Conferência Eclesial da Amazônia anunciava a criação desse organismo, presidido pelo cardeal brasileiro dom Cláudio Hummes. O estatuto do novo organismo será apresentado em breve ao pontífice para sua aprovação.

O Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM) celebrou a criação do organismo, que reúne todas as entidades dependentes da igreja na bacia do Amazonas e não apenas as dioceses.

"A decisão do Santo Padre nos enche de alegria em um momento em que a Igreja latino-americana e caribenha acentua sua opção pela sinodalidade, na colegialidade, conversão integral, com voz profética, olhar integrador e incidência, articulando e integrando redes, promovendo a descentralização, e acolhendo o magistério do papa Francisco", escreveu o CELAM em uma mensagem.

A região amazônica tem uma extensão de 7,8 milhões de km2, incluindo áreas do Brasil, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa. Dos seus cerca de 33 milhões de habitantes, 3 milhões são indígenas pertencentes a 390 grupos ou povos.

A defesa da Amazônia, de seu equilíbrio ecológico e principalmente de seus habitantes, é uma das grandes batalhas de Francisco, o primeiro papa latino-americano da história.

Francisco introduziu o "pecado ecológico" assim como o rito amazônico, com estátuas e símbolos das populações daquela região, o que para alguns foi uma heresia.

AFP/Agência Ecclesia/Dom Total