Após destruição causada por Ciclone na Indonésia, Caritas presta ajuda

06 de Abril de 2021
-2267

Um ciclone, que atingiu ilhas na região sudeste da Indonésia e Timor-Leste no Domingo de Páscoa, tirou a vida de pelo menos 120 pessoas.

A Caritas Indonésia se juntou ao governo, às Nações Unidas e outras agências para prestar auxílio às pessoas afetadas pelo desastre causado por um ciclone no sudeste do país no domingo de Páscoa.

Inundações e deslizamentos de terra

As equipes de resgate procuravam dezenas de pessoas que ainda estavam desaparecidas, inclusive na nação vizinha de maioria católica, o Timor Leste. Pelo menos 120 morreram nos dois países, com milhares de deslocados.

Dois dias de chuvas torrenciais do ciclone tropical Seroja destruíram casas, instalações públicas, comunicações, estradas e pontes e transformaram vilas e pequenas comunidades em terrenos baldios, enviando cerca de 10 mil pessoas para abrigos nas duas nações vizinhas do sudeste asiático.

A agência de gestão de desastres da Indonésia, BNPB, havia informado anteriormente 128 mortos e 72 desaparecidos. No entanto, a agência revisou para baixo o número de mortos para 86 e aumentou o número de desaparecidos para 98. O erro foi atribuído à falta de comunicação com as agências locais.

Operações de resgate

A BNPB disse que, com a melhora no tempo, os militares e voluntários chegaram às ilhas afetadas organizaram cozinhas públicas, enquanto os médicos chegavam.

A Agência de Mitigação de Desastres do Leste de Flores informou 61 mortos e 30 desaparecidos na segunda-feira, 5. Pelo menos 61 pessoas morreram e mais de 30 foram dadas como desaparecidas na ilha de Adonara.

O padre Thomas Labina, da Diocese de Larantuka, em East Flores, disse que centenas de casas foram soterradas. Na ilha Lembata, pelo menos 85 pessoas morreram e 11 desapareceram após a lava fria da erupção do vulcão Ile Lewotolok atingir quatro subdistritos.

Em Adonara, a eletricidade e o transporte foram interrompidos, deixando a diocese incapaz de se comunicar com padres ou leigos. “Tentamos distribuir ajuda para Adonara, mas o mau tempo torna os esforços extremamente difíceis”, lamentou o padre.

Caritas

Caritas Indonésia, conhecida como Karina, informou que está trabalhando com vários escritórios locais para distribuir ajuda às vítimas.

O padre Fredy Rante Taruk, diretor executivo da Caritas Indonésia, disse que a arquidiocese de Kupang abrigava mais de 500 pessoas deslocadas. “Estamos nos trabalhando com a arquidiocese e outras dioceses afetadas pelo desastre. A ajuda será distribuída o mais rápido possível”.

Timor-Leste

No vizinho Timor Leste, onde pelo menos 34 pessoas estão mortas, as agências das Nações Unidas têm prestado ajuda. Cerca de 76% das pessoas afetadas estão em Díli, grande parte embaixo d’água. Graves danos também foram relatados à infraestrutura, incluindo estradas, pontes e centros médicos. Redes de comunicação e eletricidade foram interrompidas em alguns locais.

Roy Trivedy, Coordenador Residente da ONU em Timor-Leste, disse que as agências e parceiros da ONU apoiam a resposta nacional. “Estamos profundamente preocupados, especialmente com mulheres e crianças, que costumam ser as mais afetadas por desastres naturais. Trabalharemos com as autoridades para mobilizar todos os recursos possíveis”, acrescentou Trivedy.

Há preocupações de que o desastre possa atingir os esforços de prevenção contra a pandemia, já que o depósito médico nacional foi inundado e muitos suprimentos danificados ou levados pela água.


Contador de Cliques